Notice (8): Undefined property: stdClass::$id [ROOT/lib/Googl.php, line 69]
Riotur desiste de realizar desfiles na Arena dos Blocos durante o carnaval

A prefeitura desistiu de levar desfiles de blocos para o Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca. A inauguração do polêmico Blocódromo foi adiada para julho.

AVERA
 

Riotur desiste de realizar desfiles na Arena dos Blocos durante o carnaval

24/01/2018

A prefeitura desistiu de levar desfiles de blocos para o Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca. A inauguração do polêmico Blocódromo foi adiada para julho. A folia fora de época acontecerá num período em que o calendário da cidade está voltado para os arraiais das festas caipiras.

Segundo o presidente da Riotur, Marcelo Alves, a decisão foi tomada após consulta a representantes da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) e de outras entidades que representam o setor turístico.

Os números da ocupação hoteleira do Rio no carnaval já estão bastante satisfatórios. Conversamos com patrocinadores e a ABIH, e decidimos transferir a festa para o meio do ano. A decisão é estratégica. Em julho, há menos atividades. Poderemos reviver o ambiente do carnaval no meio do ano. E, com certeza, atrairá mais turistas para a cidade afirmou Marcelo Alves.

A decisão de adiar o Blocódromo deixou preocupados moradores da Barra, em especial os da Praia do Pepê e do Jardim Oceânico. No ano passado, o desfile de grandes blocos no bairro acabou em ações de vandalismo.

Foi um horror. Não houve desfile, mas depredação da Barra por grupos de vândalos. Tivemos assaltos, portarias de prédios atacadas. Esperamos que, com o adiamento da Arena dos Blocos, a Riotur mantenha a promessa de proibir os desfiles no Jardim Oceânico. O único que pode ser mantido aqui é a Banda da Barra, que desfila há mais de 40 anos disse Luiz Igrejas, presidente da Associação de Moradores do Jardim Oceânico.

SERÃO 14 BLOCOS NA BARRA

Oficialmente, serão 14 blocos autorizados pela Riotur na Barra. Nove estarão nas ruas entre sexta-feira e terça-feira de carnaval, mas ficam parados. Sete vão se apresentar na Avenida Lúcio Costa. Os blocos Eva e Carrossel de Emoções, que arrastam multidões e estavam na programação da Arena, ainda estão sem data e local definidos.

Para Rita Fernandes, presidente da Sebastiana, que representa 11 blocos da cidade, a ideia do Blocódromo é um equívoco.

Desde que essa ideia surgiu, achamos que era um equívoco. O Rio não precisa de um lugar na Barra para juntar o carnaval. Os blocos já estão espalhados pelas ruas, que é onde devem estar. Se vai fazer palco, tem que ser na cidade toda, não pode ser um só, tem que ter um na Lapa, outro em Madureira, jamais um único na Barra. Seria muito dinheiro gasto numa ação, sem nenhuma conversa antecipada com quem faz o carnaval — disse Rita Fernandes, que ao saber do adiamento comemorou: — É uma vitória do carnaval de rua.

A iniciativa de promover desfiles no Parque dos Atletas em uma agenda paralela ao carnaval virou polêmica. Isso porque a ideia da prefeitura previa o pagamento de cachê para os blocos, bem como a criação de áreas VIPs, a distribuição de pulseiras para frequentadores selecionados e o isolamento das atrações por cordas, em um modelo que guarda semelhança com o carnaval da Bahia. A Riotur, por sua vez, vinha negando que a intenção seria imitar a festa de Salvador, mas sim criar uma atração adicional para a cidade.

Com o adiamento, a licitação para escolher a empresa que faria a montagem das estruturas do evento, que aconteceria de 10 a 14 de fevereiro, foi cancelada. O projeto previa gastos de R$ 3,3 milhões. A Riotur argumentava que o dinheiro viria de patrocinadores.

O presidente da ABIH, Alfredo Lopes, lembrou que com a mudança para julho será possível melhorar o planejamento e discutir a ideia com todos os envolvidos.

É melhor. Vai dar tempo de a gente conversar e melhorar a infraestrutura. Estava muito próximo. Da nossa parte, levar os desfiles para o meio do ano é bom. Desde as Olimpíadas, tivemos um aumento importante no número de quartos na Barra: de 12 mil para 15 mil. Além disso, a Barra reúne o maior número de hotéis cinco estrelas do Rio e é o maior destino corporativo da América Latina argumentou Alfredo Lopes.

A Riotur estima que a cidade receberá 1,5 milhão de turistas no carnaval, gerando uma receita de R$ 3,5 bilhões.

Transferir a data incrementará a agenda turística da cidade. O Carnaval Rio 2018 será grandioso, com todos os eventos já programados, levando a folia de norte a sul da cidade, para que os visitantes e os cariocas possam curtir o maior espetáculo da terra na cidade maravilhosa. E em julho teremos mais disse Marcelo Alves.

 

 


Fonte:: Redação